Make your own free website on Tripod.com

A História da Igreja

Segundo Século

Home | Primeiro Século | Segundo Século | Terceiro Século | Quarto Século | Quinto Século | Século Sexto | Setimo Século | Oitavo Século | Novo Século | Décimo Século | Décimo-Primeiro Século | Décimo-Terceiro Século | Décimo-Quarto Século | Décimo-Quinto Século | Décimo-Sexto Século | Décimo-Sétimo Século | Décimo-Oitavo Século | Décimo-Nono Século | Vigéssimo Seculo

O surgimento de inúmeras seitas heréticas. Martírios. O aparecimento dos Apologistas.

  • O Senhor não retornará cedo como se esperava. É preciso organização para continuar o ministério, resistir as perseguições, opor-se aos ensinos heréticos e espalhar o Evangelho. Assim, o ofício e a necessidade do bispado se torna mais forte.
  • Enquanto a perseguição continua intermitantemente vindo de fora, as heresias oferecem um perigo maior porque vem de dentro da Igreja; e essas precisam ser respondidas. As Heresias incluiam:
    1. GNOSTICISMO – Uma espécie de movimento do tipo Nova Era que dizer ter um conhecimento especial não revelado a todos.
    2. MARCIONISMO – Movimento que tentou reduzir as Escrituras (tanto a Hebraica como a Cristã) a uns poucos livros selecionados.
    3. MONTANISMO – Um movimento carismático que foi levado a diante com novas revelações, profecias e atitudes de julgamentos contra outros cristãos.
  • Os apologistas, ou os explicadores da fé, emergem para combater as heresias e responder aos opositores da Igreja. Alguns dos apologistas-chaves seriam Irineus (Irineu)e Justus (Justo) Martir.
  • As igrejas locais não são legais e não têm fórum público ou prédios onde os seus membros possam se reunir. Perseguição local pode acontecer a qualquer momento. Um testemunho público de peso começa a acontecer a medida que os cristãos são mortos porque não irão negar a sua fé a nenhum custo. Exemplos: O martírio do Bispo Policarpus (Policarpo), um homem de 84 anos de idade (155 DC), e um grupo inteiro que foi torturado sem misericórdia en Lion no ano 177 DC.
  • Os centros fortes da Igreja estão na Ásia Menor e no Norte da África. Roma também é um centro de prestígio.
  • A Igreja continua se espalhando impressionantemente e alcançando todas as classes, particularmente a mais baixa. Callistus (Calixto), um ex-escravo, se torna o Bispo de Roma e fala da importância especial do bispado daquele centro de prestígio.

ANO 200 DC: SEIS GERAÇÕES DEPOIS DE CRISTO
Percentagem de Cristãos: 3.5%
Raças na Igreja: Outras: 68%; Branca: 32%
Evangelização: 32% do mundo
Escrituras: 7 idiomas
Total de Mártires desde o Ano 33 DC: 80.000 (0.5% de todos os cristãos; 48 por ano)
Fonte: David Barrett